5 de maio de 2011

CLARICE LISPECTOR...




"Ainda bem que sempre existe outro dia.
E outros sonhos.
E outros risos.
E outras pessoas.
E outras coisas... "


"Há momentos na vida 
em que sentimos tanto a falta de alguém 
que  o que mais queremos
é tirar essa pessoa de nossos sonhos e abraçá-la..."


"Eu não escrevo o que quero,
Escrevo o que sou..."

"Não quero ter
a terrível limitação de quem vive apenas 
do que é passível de fazer sentido.
Eu não: 
Quero é uma verdade inventada!"



"Eu escrevo sem esperança de que
o que eu escrevo altere qualquer coisa.
Não altera em nada...
Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas.
A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro!"



"...pois logo a mim, tão cheia de garras e sonhos, 
coubera arrancar de seu coração a flecha farpada..."




"Saudade é um pouco como fome:
Só passa quando se come a presença.
Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco,
Quer-se absorver a outra pessoa toda!
Essa vontade de um ser o outro
para uma unificação inteira
é um dos sentimentos mais urgentes que se tem navida."



"Dá-me a tua mão:
Vou agora te contar como entrei no inexpressivo 
que sempre foi a minha busca cega e secreta.
De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois,
De como vi a linha de mistério e fogo,
e que é linha sub-reptícia.
Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato,
entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam
existe um intervalo de espaço,
existe um sentir que é  entre o sentir 
- nos interstícios da matéria primordial 
está a linha de mistério e fogo
que é a respiração do mundo,
e a respiração contínua do mundo 
é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio!"


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...