31 de agosto de 2011

INCONSTÂNCIA ( Florbela Espanca )





Procurei o Amor, que me mentiu.
Pedi à vida mais do que ela dava;
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu !


Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a Boca me queimava !
E era o sol que os longes deslumbrava,
Igual a tanto sol que me fugiu !


Passei a vida a amar e a esquecer...
Atrás do sol dum dia outro a aquecer
As brumas dos atalhos por onde ando...


E este Amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há de partir também...nem eu sei quando!

6 comentários:

blog da Paraguassu disse...

Lecy's querida,
Lindo este poema. Amor que chega e depois parte, deixando um vácuo de saudade.
Adorei, amiga! Parabéns. És uma poetisa que escreve com as palavras saídas de teu coração.
Com um grande beijo,
Maria Paraguassu.

Arnoldo Pimentel disse...

Um lindo poema da Florbela, beijos.

Luna Sanchez disse...

"Passei a vida a amar e a esquecer..."

E a fazer disso beleza pra encantar quem a lê, Florbela.

=)

Um beijo, Lecy'ns.

Julio Díaz-Escamilla disse...

Lindos versos, hermosa poesía. Vengo a acompañar tu lírica, tu sentir.
Un abrazo.

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida amiga
Hoje eu vim pensando um pouquinho em meu sonho
por favor clique no Link

http://www.mariaalicecerqueira.com/2011/08/prezado-amigo-leitor-e-seguidor-me.html

Muito obriga de coração

abraço amigo
atenciosamente
Maria Alice

ZELİHA disse...

Çok hoş resimler..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...