24 de agosto de 2011

ÔNUS ( Lya Luft )



A esperança me chama,
E eu salto a bordo
Como se fosse a primeira viagem.

Se não conheço os mapas,
Escolho o imprevisto:
Qualquer sinal  é um bom presságio.

Seja como for, eu vou,
Pois quase sempre acredito;
Ando de olhos fechados
Feito criança brincando de cega.

Mais de uma vez saio ferida,
Ou quase afogada, porém, não desisto !
A dor eventual é o preço da vida:
Passagem, Seguro e Pedágio.

5 comentários:

Caminhante disse...

Gostei muito deste poema!
Beijinhos

Luna Sanchez disse...

"Escolho o imprevisto"

Eis uma arte que não domino...

Um beijo.

Dilmar Gomes disse...

Amiga Lecy'ns, muito legal tu postares este poema da Lya. Gostei muito.
Um grande abraço. Tenhas uma linda noite.

Artes e escritas disse...

Gostei do poema prático e da imagem lírica. Um abraço, Yayá.

Gell disse...

Lindo tudo qui no teu Blog , principalamente as postagesns da Lya . amoo ! obrigada ela visita em meu cantinho tá? abraçosss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...