31 de agosto de 2011

INCONSTÂNCIA ( Florbela Espanca )





Procurei o Amor, que me mentiu.
Pedi à vida mais do que ela dava;
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu !


Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a Boca me queimava !
E era o sol que os longes deslumbrava,
Igual a tanto sol que me fugiu !


Passei a vida a amar e a esquecer...
Atrás do sol dum dia outro a aquecer
As brumas dos atalhos por onde ando...


E este Amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há de partir também...nem eu sei quando!

29 de agosto de 2011

O OLHAR DO MUNDO ( Olavo Bilac )



Deixa que o olhar do mundo enfim devasse
Teu grande amor que é teu maior segredo !
Que terias perdido, se, mais cedo,
Todo o afeto que sentes se mostrasse ?

Basta de enganos, mostra-me sem medo,
Aos homens, afrontando-os face a face:
Quero que os homens todos, quando eu passe,
Invejosos, apontem-me com o dedo.

Olha, não posso mais ! Ando tão cheio
deste Amor, que minh'alma se consome
de te exaltar aos olhos do Universo...

Ouço em tudo teu nome, em tudo o leio:
E, fatigado de calar teu nome,
Quase o revelo no final de um verso!

26 de agosto de 2011

CRIAÇÃO (Olavo Bilac )



Há no Amor um momento de grandeza,
Que é de inconsciência e de êxtase bendito;
Os dois corpos são toda a natureza,
As duas almas são todo o infinito.

Um mistério de força  e de surpresa!
Estala o coração da terra, aflito;
Rasga-se em luz fecunda a esfera acesa,
e de todos os astros rompe um grito.

Deus transmite o seu hálito aos amantes;
Cada beijo é a sanção dos sete dias;
E a gênese fulgura em cada abraço.

Porque entre as duas bocas soluçantes,
Rola todo o universo, em harmonia
e em glorificações, enchendo o espaço.


24 de agosto de 2011

ÔNUS ( Lya Luft )



A esperança me chama,
E eu salto a bordo
Como se fosse a primeira viagem.

Se não conheço os mapas,
Escolho o imprevisto:
Qualquer sinal  é um bom presságio.

Seja como for, eu vou,
Pois quase sempre acredito;
Ando de olhos fechados
Feito criança brincando de cega.

Mais de uma vez saio ferida,
Ou quase afogada, porém, não desisto !
A dor eventual é o preço da vida:
Passagem, Seguro e Pedágio.

22 de agosto de 2011

OS DEGRAUS ( Mário Quintana )



Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.

Não subas aos sótãos - onde
os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.

Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida !
E é um sonho louco este nosso mundo !

18 de agosto de 2011

OS TRÊS AAA PODEROSOS = AMOR, ALMA, ÂMAGO

                     

               
                           OS TRÊS AAA PODEROSOS  QUE RESIDEM  EM  NÓS  


                                                                  AMOR,
       ALMA,
                           ÂMAGO.


"O Amor é tão poderoso que regenera a nós mesmos. " (Dostoiévski)



                                   " Eu sempre pensei que minhas flores tinham alma!" 
                 ( Myrtle Reed )



"No âmago do inconsciente reside a beleza!" (Rubem Alves)



                                                    "Para ser grande, sê inteiro...Sê todo em cada coisa.
                                                                          Põe quanto és no mínimo que fazes..." 
                                                                                              (Fernando Pessoa)


16 de agosto de 2011

BILHETE ( Mário Quintana)






Se tu me amas,
Ama-me baixinho.


Não grites de cima dos telhados,
Deixa em paz os passarinhos.
Deixa em paz a mim !



Se me Queres, enfim,
Tem de ser devagarinho, Amada!
Que a Vida é breve
E o Amor mais breve ainda!


12 de agosto de 2011

AMADO, AMANTE, AMIGO ( Sylvia Cohin )




Ah, Meu Amado eu te agradeço tanto
Esse aconchego pleno de eloquência,
Toda a beleza de tu'alma a essência,
De mim o riso, a confiança, o encanto !


Ah, Meu Amado e tão Ardente Amante!
Perco-me inteira nesse paraíso,
porto seguro, chão por onde piso
Tu és o norte para mim, errante !


Não fosses Meu Amor inebriante,
privar-me dele, o meu maior castigo.
Inda que longe  sei-te assim constante!


O teu Abraço terno é firme abrigo.
Não fosses meu amado acompanhante,
Inda seria Meu Eterno Amor Amigo !



10 de agosto de 2011

O AMOR É UMA COMPANHIA ( Fernando Pessoa )



O Amor é uma companhia
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.


Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar !
Se  não a vejo, imagino-a... e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo... tremo... não sei do que é feito o que sinto na ausência dela.


Todo eu... sou qualquer força que me abandona...
Toda a realidade... olha para mim, 
Como um Girassol... com a cara dela no meio !


7 de agosto de 2011

O SILÊNCIO ( Mário Quintana)






Convivência entre o poeta e o leitor,

Só no silêncio da leitura a sós.

A sós, os dois. Isto é, livro e leitor.

Este não quer saber de terceiros,

Não quer que interpretem,

Que cantem, que dancem um poema.

O verdadeiro amador de poemas ama em silêncio.....



POEMAS ( MÁRIO QUINTANA )




"A verdadeira arte de viajar...
A gente sempre deve sair à rua como
Quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós
Todos os caminhos do mundo.
Não importa que os compromissos,
As obrigações, estejam ali...
Chegamos de muito longe,
De Alma aberta e o Coração cantando..."



 **DO AMOROSO ESQUECIMENTO**
        "Eu agora - que desfecho!
         Já nem penso mais em ti...
         Mas será que nunca deixo
         De lembrar que te esqueci ? "

                                                     

                                                       **POEMINHA DO CONTRA**
"Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão... Eu passarinho !"


                                                           
"Um bom poema é aquele 
Que nos dá a impressão
De que está lendo a gente...
E não a gente a ele !"


"Mas por que datar um poema ?
Os  poetas que põem data nos seus poemas
Me lembram essas galinhas que carimbam os ovos..."


6 de agosto de 2011

RECONCILIAÇÃO ( Johann Wolfgang Von Goethe )




A paixão traz  a dor ! Quem é que acalma
Coração em angústia que sofreu perda tal ?
As horas fugidias - para onde é que voaram ?
O que há de mais belo em vão te coube em sorte.
Turbado está o espírito, o agir emaranhado.
O sublime mundo - como foge aos sentidos !

Mas eis, com asas de anjo, surge a música,
Entrelaça aos milhões os sons aos sons
Para varar, lado a lado, a alma humana
E de todo a afogar em eterna beleza:
Marejado o olhar, na mais alta saudade
Sente o preço divino  dos sons e o das lágrimas.

E assim aliviado, nota em breve o coração
Que vive ainda  e pulsa e quer pulsar,
Pra ofertar-se de vontade própria e livre
De pura gratidão pela dádiva magnânima.
Sentiu-se então - oh! pudesse durar sempre,
A ventura dobrada da música e do Amor !

4 de agosto de 2011

POEMA - ( Emily Dickison) Tradução: Paulo Henrique Britto.



Noites Loucas - Noites Loucas!
Estivesse eu contigo,
Noites loucas seriam
Nosso luxuoso abrigo!


Para coração em porto:
Ventos - são coisas fúteis,
Bússolas  -  dispensáveis,
Portulanos  -  inúteis !


Navegando em pleno Éden - Ah, o Mar !
Quem dera - esta noite - em ti ancorar !


2 de agosto de 2011

VELEJANDO... EM PROSA / VERSOS : Poeta João Maria Ludugero





"..Estou aprendendo 
A arte de botar o pé no chão,
Movimentar-me e sentir o chão,
Amar sem ser movediço,
Isso me dá vigor, segurança.
...................................
Eu preciso de sinceros abraços,
Não só da carne
Que se entrega,
Por um preço baixo,
E tão logo depois se estraga...
...................................
Preciso de alguém que toque minha Alma
E não me deixe a dois, vazio
Feito sobrevivente a divagar por aí..."


"... quer saber, sei ser valente, animoso,
de gentil presença,
E a poesia foi o que me fêz ser assim,
senhor do meu nariz !
Logo posso ser o que eu quiser.
Dúvidas do meu intento?
.................................
O que tenho são versos entranhados
Pulsando na artéria, latejantes,
Querendo sair, girar o mundo
Que rodopia em meu peito de Poeta! "  


"... Porque esse danado do Amor,
Apesar das perdas e danos,
Vale a pena vivê-lo de novo,
E por ele, tantas vezes, perder a cabeça.
Acho até que esse danado do Amor
Tem muito mais que sete vidas,
E haja fôlego ! "

"... Vou decorando as próximas cenas,
E que venha o sol irradiar seus flaches,
Sem me furtar as cores
Que vão e que vêm, a cada capítulo,
Minha vida toda enfeitar
Nesse balanço tão vívido,
De levantar a alma leve e solta,
sem escapulir de mim
Dando-me corpo à liberdade! "



"... Mesmo depois do leite derramado,
O importante é pensar
Que a vida continua
E a vaca não morreu,
Que está viva! ..."


"...Cada instante em mim
É Verdadeiro, Autêntico,
Ao buscar um bem definitivo viver
Onde as coisas do Amor se eternizem,
Assim juntamente com as cicatrizes
Que a vida me tatuou no peito...
.................................
O pior da vida é perder
os sonhos de vista, 
em todos os reais sentidos!..."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...