5 de outubro de 2013

AMOR DE MENTIRAS ( J.G.de Araujo Jorge )



Eram beijos de fogo..eram de larvas,
E sabiam a sonhos e ambrosias..
Como pensar que  a boca com que os davas
Era a mesma, afinal, com que mentias ?!


Se eras a mais humilde das escravas,
Em dádivas, anseios, alegrias..
Como prever que o amor que me juravas
seria mais uma das tuas heresias ?!


Como supor ser tudo um falso jogo?
E crer que se extinguisse aquele fogo..
que acendia em teus olhos duas piras ?!


E descobrir.. no instante em que me amavas..
Que em tua boca ansiosa misturavas
Ao mesmo tempo beijos e mentiras ?!


Eram brancas as mãos..brancas e puras..
Mãos de lã..de pelúcia..mãos amadas..
Como prever..vendo-as fazer ternuras,
Que nas unhas traziam emboscadas ?!


Era tão doce o olhar..em conjeturas
felizes..e em promessas impensadas...
Como enxergar,  portanto, as amarguras..
E as frias traições nele guardadas ?!


Como pensar em duas, se somente
uma eu tinha em meus braços..e adorava..
E a outra.. uma impostora..se mantinha ausente..


E, afinal, como ver, nessa alegria..
Que o amor que tanta vida me ofertava..
Seria o mesmo que me mataria ?!




3 comentários:

Laura Santos disse...

Um belo poema de um poeta totalmente desconhecido para mim.
Um poema sobre uma grande desilusão, sobre amor e mentiras que nunca pode dar bom resultado, e só pode causar dor.
Obrigada, gostei muito!
xx

edumanes disse...

Beijos de fogo,
Lábios queimam
Recebidos sem gozo
De quem não amam.

Belo poema,
de fogo e larvas, falso jogo
Beijos e mentiras!

Boa noite e bom fim de semana,
um abraço,
Eduardo.

edumanes disse...


Bom dia com alegria!
Bom fim de semana e prosperidade
Saúde, paz, carinho e amor, de noite e de dia.
Das minhas para as tuas mãos delicadas
Pega na chave da porta da nossa amizade
Por Deus com carinho e amor abençoadas
Mantém a porta do teu coração, aberta à felicidade.

Para ti, amiga Lecy´ns,
um beijo
Eduardo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...